Corridadodragao.pt já não está disponível aqui. Por favor visite facebook.com/corridadodragao.porto.

A evolução da corrida em Portugal

Portugal tem marcado presença assídua nos Jogos Olímpicos desde 1912 e a corrida tem sido dos desportos que mais tem cativado o público português.

Desde o primeiro ouro olímpico, obtido por Carlos Lopes em 1984, até aos sucessos mais recentes de Fernanda Ribeiro ou Rui Silva, muitos foram os atletas que inspiraram gerações.

No entanto, os últimos 15 anos têm sido caracterizados por uma grande mudança no panorama da prática desta modalidade.

A corrida para todos

Até ao início do Século XXI as corridas em Portugal eram um palco de competição por excelência e poucas eram as pessoas que corriam de forma mais lúdica no seu dia-a-dia.

Atualmente, ao início da manhã, ao final da tarde e durante os fins de semana, as ruas e os montes por todo o país encontram-se repletos de pessoas, de todas as idades, que reservam um pouco do seu dia para correr alguns quilómetros.

Os efeitos sobre a saúde e os níveis de interação social da população têm sido extremamente positivos.

O atletismo

Já no caso do atletismo as coisas mudam completamente de figura.
Apesar do crescente número de pessoas a praticar desporto, e mais especificamente a corrida, a vertente de alta competição apresenta números de participantes cada vez mais reduzidos.

O futebol e a falta de investimento nas outras modalidades têm sido os grandes responsáveis por esta quebra no atletismo de alta competição.

Com certeza iremos voltar a ter alegrias com os nossos atletas internacionais mas, até lá, a corrida continua a ser um desporto para todos e com muitos e bons efeitos na melhoria da qualidade de vida.